Auditoria Externa para Comercializadoras de Energia

O Mercado Livre de Energia é um ambiente dinâmico que vem evoluindo em ritmo elevado.  Apesar da regulação desempenhada pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE), o ambiente regulatório existente não acompanha a evolução imediata do mercado, e por isso ainda carece de adaptação e adequação das normas e regulamentos na velocidade na qual produtos e serviços são lançados no mercado. 

Apesar das normas que regulam o mercado, notícias de calotes têm sido cada vez mais constantes.  A saúde financeira das comercializadoras de energia é essencial para o bom funcionamento do mercado. 

Muitas Comercializadoras de Energia têm visto a Auditoria externa como um bom “selo de confiabilidade”.  Além da transparência proporcionada pela auditoria, a Comercializadora auditada experimenta também o aprimoramento das suas práticas contábeis, financeiras e controles internos.  Dentre as diversas vantagens originadas da auditoria, podemos destacar:

  • Maximiza o grau de confiança da empresa perante fornecedores, clientes, parceiros e contrapartes.
  • Permite maior exatidão das demonstrações contábeis.
  • Assegura maior precisão dos resultados reportados.
  • Contribui para maior observância das leis e regulamentos aplicáveis.
  • Colabora para a cultura da governança corporativa.

Interessado nos serviços de auditoria?

O Mercado de Energia no Brasil

Em mercados de energia considerados maduros, como os mercados dos Estados Unidos e Europa, e que serviram de base para o nosso sistema, existem mecanismos de grande liquidez e muitas opções de contratos de hedge negociados em várias bolsas de energia

O Ambiente de Contratação Livre de Energia (ACL), ou mercado livre é um ambiente competitivo de negociação de energia elétrica em que os participantes podem negociar livremente todas as condições comerciais, como fornecedor, preço, quantidade contratada, período de suprimento e condições de pagamento, entre outras condições.

Segundo definido pela Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia (ABRACEEL), o Mercado Livre funciona, resumidamente, da seguinte forma:

  1. Produtores entregam e recebem energia ao sistema, em seu centro de gravidade, assumido parcela das perdas entre o ponto de geração e este centro de gravidade.
  2. Consumidores, de forma análoga, entregam e recebem energia ao sistema, em seu centro de gravidade, assumido parcela das perdas entre este centro de gravidade e o ponto de consumo.

O sistema garante oferta e qualidade do produto.

Diferenças entre o contratado e o produzido ou consumido são liquidadas pelo Preço de Liquidação de Diferenças (PLD), definido em 4 submercados e 3 patamares de carga, por modelo computacional. Esta liquidação é feita pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Contratos protegem os agentes do preço de curto prazo e são obrigatórios para 100% da carga, sem restrições de prazo no caso do mercado livre. Contratos podem ser registrados após a medição do consumo efetivo. A não comprovação, além da exposição ao pagamento do PLD, implica no pagamento de penalidades para falta de lastro de contratos de energia e potência.

As Comercializadoras de Energia

Geradores e consumidores de energia têm muitas vezes objetivos distintos. Geradores desejam maximizar preço de venda, o volume vendido e vender conforme sua produção. Procuram contratos de longo prazo para lastrear financiamentos. Já os compradores buscam minimizar preço de compra, segurança no atendimento, comprar conforme suas curvas de carga e prazos menores de contratação.

Todos querem reduzir a possibilidade de estarem expostos a riscos e penalidades.

Cabe aos comercializadores atuar reduzindo os chamados custos de transação, fazendo o encontro eficiente entre geradores e consumidores.

Viabilizam, com sua atividade, o preço de equilíbrio e dão racionalidade econômica ao “rateio” de sobras e déficits. Permitem o ajuste dos portfólios de compra e venda. Assumem o risco de crédito do consumidor e o risco de performance do produtor. Oferecem liquidez ao mercado, viabilizando a competição.

Os comercializadores desenvolvem produtos e associam serviços ao produto energia, em um mercado cada vez mais competitivo, inovador e com foco nas necessidades de seus clientes.  De forma análoga a outros mercados de commodities, o mercado de comercialização de energia passa por um processo de modernização e sofisticação, importando e adaptando ferramentas já usadas em outros mercados, tais como opções, futuros, swaps, contratos a termo e outros.

Fonte: www.abraceel.com.br

Publicado em: 12 de fevereiro de 2019